MATHEWS WHITE

1 de jul de 2016

Primeiro Walkman que surgiu no mundo

Olá meninas e meninos , Hoje falarei sobre o primeiro "WALKMAN".
É isso mesmo o primeiro radinho que criança na década de 70 ao 85 curtia suas Música através dela! Lembrando que na aquela época era toca fita ... quem não se lembra disso hehehe , eu completamente escutava muito nesse "Walkman"... adorava

                                        Primeira Historia sobre esse aparaelho 

                                                         A origem  Walkman 
No dia 1 de Julho de 1979 foi lançado no mercado aquele que viria a ser um dos maiores produtos de sucesso da eletrônica de consumo, o Walkman.
Tudo começou quando um dos fundadores da Sony, Akio Morita, percebeu que o futuro estava na portabilidade, tendo para isso obtido a licença para utilização de um extraordinário invento dos laboratórios Bell, o transístor.
Após várias tentativas, o outro fundador da Sony, Masaru Ibuka, no decurso de uma conversa com os seus engenheiros, deu-lhes indicação para combinarem um leitor de cassetes sem capacidade de gravação com os auscultadores portáteis que estavam a desenvolver.
É verdade que a ideia de Ibuka pareceu um autentico disparate a todos os engenheiros da divisão áudio da Sony.  Naquela época a única forma de se ouvir música era através de aparelhagens de sala, não existia qualquer aparelho com portabilidade e autonomia para se levar em passeio. Precisamente por isso todos achavam que a opção por um aparelho de música individualizada contrariava os hábitos de audição da época e não seria bem recebido no mercado.
Mas Ibuka decidiu submeter o aparelho à apreciação de Akio Morita, que aceitou quase imediatamente a ideia, até porque ele há muito que pretendia um aparelho que lhe permitisse ouvir as suas óperas favoritas durante os voos transatlânticos.
Morita também decidiu que o Walkman deveria ter como público alvo os jovens e adolescentes, pelo que o preço deveria ser mantido baixo mas sem nunca comprometer a qualidade final.
Apontou-se o objectivo de venda de 60 mil unidades, fez-se uma pequena campanha de marketing, essencialmente com base em acções de relações públicas,  com oferta de aparelhos a celebridades, artistas de música e atletas famosos. Foram enviadas todas as informações necessárias para a imprensa em cassetes, em vez de papel, e foram desenvolvidas facções de promoção nos principais parques de Tóquio.
Toda esta originalidade não passou despercebida e conseguiu proporcionar à Sony uma enorme cobertura jornalística.
Paralelamente à campanha de marketing, os walkman foram postos à venda em todos os retalhistas de produtos de electrónica de consumo, que no fundo eram os locais onde a Sony já comercializava os seus produtos.

Apesar de toda a publicidade, no final do primeiro mês de vendas nem um único Walkman tinha sido vendido. Passou o mês seguinte e o panorama manteve-se, zero unidades vendidas. E eis quando, sem nada que o fizesse prever, em Setembro os Walkmans pura e simplesmente esgotaram completamente, foram vendidos até à última unidade.
Quando a Sony analisou este fenômeno, concluiu que o público alvo que havia escolhido não era o mais adequado. Quem estava a comprar os walkman não eram os jovens adolescentes mas sim os jovens profissionais urbanos (os “yuppies” em inglês). Por terem um poder de compra superior, eram já habituais consumidores de tecnologia de consumo e gostavam também de se destacarem com as últimas novidades por questões de status.
Assim, perante esta conclusão, Akio Morita alterou a publicidade dirigindo-a para esse extracurto social, o que se veio a revelar uma opção acertada.
A partir daqui o Walkman tornou-se um fenômeno de massas por todo o mundo. Em 1980 a produção passou para 250 mil unidades por mês e em 1998, menos de 10 anos após o seu lançamento, as vendas já ultrapassavam 50 milhões de unidades.
Até hoje, de todas as inovações criadas pela Sony, nenhuma teve tanto êxito junto dos consumidores a nível mundial como o Walkman, que apenas foi “derrotado” com o advento da música digital e dos leitores MP3.

Valor dos walkman na Época  

O primeiro modelo de Walkman foi o Sony TPS-L2, desenvolvido pelo coordenador do setor de áudio da Sony, o japonês Nobutoshi Kihara, e lançado no Japão no dia 1º de julho de 1979 pelo equivalente a U$ 150 (cerca de R$ 465,29). No ano seguinte, ele chegou aos Estados Unidos, onde fez muito sucesso, e acabou sendo levado para mercados consumidores em todo o mundo.
Ele foi o primeiro dispositivo a permitir a reprodução de músicas de forma portátil e individual. Até então, as pessoas só conseguiam escutar as canções em rádios AM/FM e tocadores de fitas cassete maiores. O aparelho recebeu, de início, nomes diferentes em cada país. Nos Estados Unidos, era Soundabout e, no Reino Unido, Stowaway, até que o nome Walkman ganhou mais força e passou a ser mundialmente conhecido.

Depois fita cassete 

 
O Walkman teve seu auge na década de 1980, com um sucesso estrondoso, mas, conforme foram aparecendo mais os CDs e “sumindo” as fitas cassete, o aparelho foi perdendo espaço. Porém, a Sony já tinha vislumbrado o futuro e lançado, em 1984, seu primeiro Walkman CD, que posteriormente foi popularizado com o nome de Discman, outra marca registrada da Sony que, de tanto sucesso, tornou-se nome do aparelho.

O primeiro Discman foi o modelo CD-50, um dispositivo grande e pesado e que, apesar disso e de custar caro, fez muito sucesso na época. Depois, surgiram diversos modelos da então novidade e várias outras fabricantes lançaram seus próprios modelos de Discman, além dos da própria Sony, cada vez menores e mais leves.
 Além dos modelos já apresentados, a Sony também lançou, em 1989, o que ficou conhecido como Video Walkman, para aproveitar o sucesso dos videocassetes e VHS. Ainda, em 1992, a empresa colocou no mercado mais um “filho” do Walkman, o MiniDisc, que era uma versão menor do Discman. Já em 2001, lançou o Walkman MP3

Perda da liderança
A Sony estava sempre à frente em relação às outras fabricantes de reprodutores de áudio e música, até que a Apple surgiu e começou a tomar aos poucos a liderança da concorrente. Com o surgimento do iPod, o Walkman e seus derivados foram perdendo cada vez mais espaço, obrigando a companhia a se reinventar.


 Em 2005, antes do surgimento dos smartphones, a Sony passou a investir na transformação de seus celulares Sony Ericsson em novos modelos de Walkman. Porém, em seguida, no ano de 2007, a Apple lançou o iPhone, que começou ganhar espaço e acabou provocando o o fim desses celulares, que tiveram a produção encerrada em 2009.

Modelos atuais

 A marca Walkman continua em produção até hoje pela Sony, com dispositivos vestíveis de reprodução de áudio MP3, por exemplo. Ainda, a empresa lançou durante a CES 2015 um novo modelo, o Walkman NW-ZX2, um player de música com áudio de alta resolução e que roda Android. Com ele, o usuário tem acesso ao Google Play e pode baixar jogos e aplicativos, como Spotify e Deezer, por exemplo.

2 comentários :

  1. Oii, achei super interessante seu post!Para você ver como as coisas evoluíram né rs
    Está de parabéns pelo conteúdo! Beijos ,3

    ResponderExcluir
  2. Ah obrigado Paola por gosta do Meu conteúdo .. tento cada dia melhorar mais o meu conteúdo linda <3 , seja bem vindo no meu cantinho fique avontade tá.

    ResponderExcluir